estudar fora

Sonha em estudar fora do país? Confira 9 Dicas para tornar o sonho realidade!

Cada vez mais brasileiros querem estudar fora do país.

Essa vontade aumentou ainda mais depois da crise de 2014 — política e econômica — que dura até hoje.

A busca por graduações no exterior cresceu 38%.

É claro ver que os estudantes brasileiros não sentem segurança e tem medo de encarar um futuro incerto vivendo no Brasil.

Apesar de certas dificuldades no começo para conseguir o tão sonhado intercâmbio, a tarefa hoje está mais acessível graças a essa crescente procura.

Dessa forma, ao se preparar com um bom planejamento e organização, os esforços para estudar fora do país, fica mais palpável.

Assim, você chega mais perto de passar por uma experiência que irá transformar a sua vida.

Confira as dicas dadas neste artigo para você conseguir se organizar melhor para estudar no exterior, vamos lá?

Tenha um Objetivo

O primeiro passo que você tem que pensar é qual é a razão que você quer estudar fora.

Se pergunte: — Por que eu quero estudar no exterior?

Deixar isso claro desde o começo, irá livrar você de muitos problemas no futuro.

Além disso, irá ajudar você a se preparar melhor para os desafios da modalidade que você escolheu.

Como por exemplo a preparação para exames de proficiência da língua do país escolhido.

Hoje, é disponível diversas formas para você estudar em outro país , cada um com as suas diferenças, vamos para alguns exemplos:

  • Estudo com trabalho;
  • Trabalho Voluntário;
  • Cursos de graduação;
  • Especializações;
  • Cursos Preparatórios para exames;
  • Ensino Médio no Exterior — High School;
  • Intercâmbio de Férias;
  • Curso de Idiomas no Exterior.

Faça uma auto-análise

Antes de pular de cabeça e começar uma aplicação para um intercâmbio, você precisa olhar para o seu desempenho acadêmico.

Sim, ele tem um grande peso e faz com que você saiba para os lugares que você não vai conseguir ir ou lhe dará possibilidades para lugares que você não sabia que iria conseguir ir.

Por outro lado, também ajuda você a decidir qual é o seu perfil de estudo.

Você prefere uma universidade mais focada em pesquisa?

Ou você prefere uma universidade mais voltada para o mercado de trabalho?

Peça para que amigos sinceros e professores ajudem você nessa avaliação.

Entendendo quais são suas preferências, nessa pequena jornada de autoconhecimento, sua decisão será mais assertiva.

E sua escolha terá um impacto direto em sua carreira profissional.

Pense no idioma que você irá focar

Definir o idioma de estudo é de extrema importância.

É a partir dele que você se comunicará a maior parte de tempo que estiver estudando fora.

Então essa escolha precisa ser escolhida sabiamente.

Considere a língua estrangeira que você já sabe, pois, assim você não irá precisar passar novamente pelo processo de aprender uma nova língua.

Lembre-se que você irá fazer um exame de proficiência para testar sua fluência na língua escolhida.

Por isso é melhor se arriscar com algo que já está em processo de aprendizagem ou já sabe.

Imagina essa situação, uma pessoa começa um processo de admissão para fazer bolsa de graduação no exterior.

Ela já sabe falar espanhol, mas ao olhar os requisitos vê que é preciso inglês, mesmo sem saber, faz a aplicação e começa a estudar inglês faltando alguns meses para o exame.

Ela consegue passar pelas duas primeiras fases e quando chega no dia da entrevista, precisa fazer um teste em inglês e conversar com os examinadores na língua inglesa.

Apesar de conseguir responder todas as perguntas, percebe-se o não domínio e as dificuldades com a língua.

E depois de todo o esforço e trabalho, a pessoa não passou.

Isso acontece com bastante frequência, e por isso se preparar é importante.

estudar fora

Estude as bolsas de estudo e se prepare financeiramente

Todo o ano são disponibilizados por diversas instituições governamentais e não governamentais bolsas de estudos.

Procure por essas bolsas e leia todos os requisitos para aplicação.

Sempre considere as possibilidades!

Depois de entender o que foi pedido, se organize e envie tudo.

Então se arrisque e tente, você nunca saberá se não tentar.

Contudo, mesmo que a bolsa tenha alguns cortes em despesas, você ainda irá gastar.

Logo, se preparar financeiramente é necessário.Saiba como funciona a transferência de dinheiro, câmbios e as tarifas para pagar.

Se vale a pena pegar um cartão de crédito pré-pago.

Talvez você precise comprar material escolar como livros, ou precise comprar novas roupas para aguentar o clima da país escolhido.

Então se planeje para prever quais serão suas maiores necessidades.

Escolha bem para onde vai

Apesar de ser sempre bom manter as opções abertas, pois assim, você tem mais diversidade de escolha, dê preferência a um país que você vá gostar de ficar.

Você passa por um processo seletivo longo, cansativo, com diversas provas, prepara toda a documentação, deixa tudo acertado.

Mas vai para um país quente e você odeia calor — Imagina essa experiência.

Você vai ficar uma semana no intercâmbio e já vai querer ir embora.

Então procure saber mais sobre a cidade que você vai ficar, como que é a universidade, a cultura local, os lugares que você pode ir para passear.

Tudo isso conta para que sua experiência seja a mais prazerosa possível.

Porém, há uma ressalva para pessoa que buscam especialização e pós-graduação.

Esses cursos em específicos, o foco é outro. Nesses tipos de cursos o ponto chave é que tipo de pesquisa a universidade faz, que linha de pensamento se enquadra.

É uma escolha mais acadêmica, entende?

Decida quais Instituições você quer estudar

Graduação

Normalmente quem decide fazer um intercâmbio pós-graduação, faz por meio de programas oferecidos pela instituição que estuda.

Então o processo se torna um pouco mais fácil e apenas se segue os procedimentos que a instituição estabeleceu.

Contudo, caso sua faculdade não ofereça programas de intercâmbio ou nenhum lhe agradou.

Você pode pesquisar diretamente nos sites oficiais do país que você quer ir, por exemplo:

Pós-graduação ou Especialização

A sua escolha aqui é baseada na sua carreira profissional, seja acadêmica ou voltada para o setor privado.

Aqui os testes são um poucos mais rigorosos, além de exigir a proficiência da língua, você na maioria dos casos irá precisa ter feitos testes como o GRE ou GMAT.

E terá que procurar no site de instituições que você deseja estudar se há vagas abertas e pesquisas que são da sua área de interesse.

Cursos de Curta Duração

Os cursos de curta duração, geralmente são destinados para pessoas que querem aproveitar as férias para fazer um intercâmbio e não perder as aulas no país de origem.

Duram de três semanas a três meses, mas não possuem nenhum regra específica para determinar a duração.

Desse modo, procure saber o que você procura em uma modalidade como essa, para encontrar o melhor lugar para ir.

Comece a sua candidatura

Depois de ter pensando em tudo isso que foi passado, está na hora de começar o application process ou melhor dizendo sua candidatura.

Busque ter em mãos toda a documentação exigida pelo edital do programa que você se interessou.

Certificações, diplomas, histórico escolar ou de graduação e se precisar comprovante de renda, podem ser solicitados.

Além disso, talvez você precisa fazer uma tradução juramentada, porém não se preocupe muito e busque saber se é necessário ou não com dois meses de antecedência.

Outro ponto importante nessa fase é ter ter em mãos cartas de recomendação feita pelos professores e a carta de motivação feita por você.

estudar fora

Tenha em mãos a documentação para estudar fora

A dica de ouro aqui é que você já tenha o passaporte feito antes mesmo de ser aprovado.

Pois, fazer em cima da hora, é perigoso pela quantidade de variáveis que você não tem controle.

Depois disso de aprovado, corra atrás do seu visto de estudante e procure as melhores passagens aéreas e moradias para ficar.

Mesmo sendo bastante coisa, você terá tempo para fazer tudo isso.

Primeiro, veja se o seu passaporte terá validade por todo tempo que você ficará fora do país.

Segundo, procure as melhores opções de moradia que puder no país que irá morar.

Terceiro, busque saber onde e qual é o consulado do país que irá ficar e apresente sua carta de aceitação para conseguir o visto de estudante.

Faça um seguro de vida

Há países como o EUA que não exigem que você faça um seguro de vida, porém, na Europa é exigido que você possua um.

Geralmente as bolsas já englobam esse gasto.

Esse seguro de vida normalmente é pedido, pelo fato que as mudanças geográficas pode afetar a saúde do estudante.

Não somente isso, os intercâmbios podem durar muito tempo e todos nós estamos suscetíveis a ficarmos doentes, né?

Como alguns países como a Itália não possuem serviços púbicos de saúde é preciso sair daqui com isso já pronto.

Então pesquise e avalie as opções de seguro existentes e tome a melhor escolha.

Pronto para estudar fora? Já sabe para onde quer ir? Compartilhe nos comentários o que você está pensando!

Published by

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *